“POESIA NÃO NASCE PELA VONTADE DA GENTE, ELA NASCE DO ESPANTO,

ALGUMA COISA DA VIDA QUE EU VEJO E QUE NÃO SABIA."

(Ferreira Gullar)

Meus Amigos e blogAmigos!

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

SEMPRE É TEMPO DE CHICO XAVIER

UMA PEQUENA CONFISSÃO PESSOAL HOJE:

Ainda não assisti ao filme CHICO XAVIER, mas é com grande alegria pessoal que estou acompanhando a minissérie sobre esse homem Iluminado que esteve entre nós, e que tanto admirei sua obra.

O primeiro capítulo emocionou-me demais... As coisas da imortalidade da alma, do espírito, sempre fazem isso comigo; dizem-me muito.

Lembrei-me dum fato: de que em 1987 estive em Matozinhos (MG), cidade pequena, perto de Pedro Leopoldo (MG), terra natal de Chico (à época eu nem sabia disso.).

Na volta o caminhão carregado com cimento em que eu estava fora atingido em sua frente por uma “Brasília” verde, meia-vida. Numa curva seu motorista se perdera, derrapando na pista molhada pela chuva fina que caía naquele dia, vindo bater de lado no nosso pára-choque dianteiro, bem embaixo dos meus pés.

Quando vi aquele carro vindo atravessado e escorregando de lá, foi só o tempo d'eu avisar ao motorista que lá vinha a Brasília derrapando, e ele, aproveitando a lentidão do caminhão carregado com cimento, imediatamente parou e esperou a “chegada” da Brasília. Um baita estrondo...

Na hora vi se avermelhar tudo lá dentro na Brasília...

Rapidamente desci e fui socorrer a família. Foi quando vi que o vidro traseiro da Brasília se espatifara, e justo por ali estava tudo vermelho, escorrendo. Pensei logo no pior...

Quando todos da família (duas crianças e seus pais) começaram a sair da Brasília, e as crianças com as roupas manchadas de vermelho escorrendo pelas pernas, mas não vi nem ouvi nenhum choro ou grito de dor, fiquei perplexo!

– ¿Machucou? ¿Machucou?
- perguntei ao homem, e em seguida à menininha, que foi a primeira que vi descer pela direita da Brasília.
Não moço, Graças a Deus! – respondeu-me o pai.
¿Como não? Olhe suas crianças todas ensangüentadas nas pernas!?...

O homem então me desmontou:
- Não é sangue não... É vinho. Fui fazer compras, e a gente vinha trazendo “dois garrafão” aí atrás, e na batida de ré foi o que “quebrou” primeiro...

Eu e o motorista – que logo perdoou o pobre dono da Brasília pelos danos ocorridos no caminhão – tivemos de voltar (puxados) a Matozinhos pra arrumar o radiador, que fora atingido na pancada, ficando imprestável.

Foram dois dias lá parados, dormindo na cabine, no pátio da oficina...

Se eu soubesse à época que em Pedro Leopoldo estava parte da história de vida do Iluminado Chico Xavier - conhecendo-me como me conheço -, não resistiria e teria ido pra lá naqueles dois dias, enriquecer meus conhecimentos sobre o Espiritismo.

...não tive o privilégio de conhecer Chico Xavier pessoalmente, um grande desejo meu que o tempo acho que levou. ...¿ou não?


Imagens: by web

8 comentários:

  1. Nossa vida é um constante Dejá Vu. Lembramos de lugares onde nunca estivemos - nesta vida - ou cruzamos por lugares ou pessoas que mais tarde nos farão sentido.

    ResponderExcluir
  2. OS MILAGRES SEMPRE ACONTECEM...ABRAÇOS !!!

    ResponderExcluir
  3. Balestra,
    É bom lembrar os homens bons.
    Chico Xavier, aliás, ultrapassou os limites dos simplesmente bons.
    Deixou-nos a luz do seu conhecimento, através de seus livros, psicografados, a falar do amor, da esperança, da responsabilidade com a vida, de maneira reveladora e carinhosa.
    A história que você vivenciou da família no carro Brasília, que escapou por milagre de conseqüências mais graves no acidente com o caminhão, perto de Matozinhos e Pedro Leopoldo, nos remete a pensar nas coisas espirituais que envolvem nossas vidas. Nem sempre nos damos conta que algo mais, além de nossos olhos, fazem parte do cotidiano, e de alguma forma nos protege nessa caminhada de viver.
    Valeu a sua lembrança. É Sempre bom lembrar Chico Xavier.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. ótimo domingo para vc e familia Balestra.

    ResponderExcluir
  5. Olá amigo. Sou espírita e também não conheci Chico Xavier. Conheço parte de sua obra e que é lindíssima, pois são psicografias de espíritos de escol. Vi o filme de sua vida e me impressiona as tantas provas que teve que passar e sempre com aquele sorriso meigo no rosto. Era realmente uma pessoa iluminada. Grande abraço, Balestra e tenha uma semana feliz.

    ResponderExcluir
  6. Akino Maringá04/02/2011 11:25:00

    Valeu Balestra. Você sempre nos prestigia com comentários no blog do Rigon, resolvi retribuir visitando o seu e não me arrependo. Parabéns. Também admiro o Chico Xavier, que se fosse católico certamente seria canonizado.
    Grande abraço, fiquei freguês do blog.
    Estou de férias, volto no começo de março
    Akino Maringá.

    ResponderExcluir
  7. Balestra,

    Para que eu possa continuar realizando um bom trabalho no Conselho Tutelar de Maringá, em favor de nossas Crianças, Adolescentes e Famílias, Preciso do seu Voto e Apoio!

    Dia 27 de fevereiro de 2011 - Domingo
    Eleição do Conselho Tutelar de Maringá

    Vote: VANDRÉ FERNANDO nº 2

    * Todos Eleitores de Maringá podem votar.
    * Serão 30 locais de votação

    Mais informações:
    vandre_fernando@hotmail.com
    www.vandrefernando.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Bela história, caro Balestra. Deixo aqui o meu abraço e agradeço pelas visitas ao meu blog.

    ResponderExcluir